Processo Literário

Neste espaço um Bookie irá explicar como se dá todo o processo de publicação de um livro, afinal, até chegar até à livraria existe todo um processo, por vezes desconhecido, à maioria dos leitores, e que por si só conta uma história de como as palavras que lemos já percorram um longo percurso.

Quanto tempo leva a escrever uma obra?

Como criam as personagens?

O que te levou a imaginar o mundo do livro que escreveu? 

Como publicou, foi independente ou editora tradicional? 

O que gostariam que lhe tivessem dito, antes de iniciar o processo de publicação?

Publicita os seus livros? Como? Onde? 

Que dicas para os novos escritores?

Message: 
.

Comments

rafaela.perensin's picture

O assunto deste artigo é bem simples, mas de muita importância para qualquer escritor: o registro do ISBN(International Standard Book Number). Você vai entender, de uma vez por todas, tudo o que precisa saber sobre esse registro.

Na prática, o que é?

Vamos ser práticos: pegue um livro da sua estante e olhe a contracapa. Está vendo um código de barras aí com alguns números? Isso é o ISBN. Ele serve para individualizar os livros, identificando-os por título, autor, país e a editora – ou seja, é como um RG do seu livro.

É obrigatório?

Bem, obrigatório, é. Mas nem todas as pessoas tem um RG e o resultado são muitos problemas, não é mesmo? Da mesma forma, se um livro é publicado sem um ISBN a comercialização dele será muito mais difícil, além de muitos outros fatos, como cadastro em plataformas que pedem o ISBN (Skoob, por exemplo). Então, não vale a pena deixar de solicitar o seu ISBN. 

 

Para saber como conseguir o ISBN para sua obra, assista:

 

 

 

 

 

Tenho 15 livros publicados na Amazon, entre livros de contos, poemas, filosofia e educação.

Nunca medi exatamente quanto tempo se leva para escrever um livro porque fui escrevendo simultaneamente contos, poemas, e livros técnicos. De repente um fica pronto para publicar. Contudo, penso que não menos de um ano com todo processo de escrita, pesquisas e revisões.

As personagens vão sendo criadas de acordo com o momento que se vive e pesquisas realizadas, espontaneamente.

Falarei aqui sobre o primeiro livro que publiquei “A verdadeira história de Ymyayá”. Tive influencias do Tantra, do I Ching, do Santo Daime.

Pesquisei muito sobre como publicar, mas parece que as editoras pensam que as pessoas só querem mesmo é ter um livro publicado com seu nome na capa, e isso basta, até que encontrei as lojas da Amazon e publiquei primeiro em e-book, e depois físico. Achei a proposta interessante. Publiquei pela Amazon (independente) esse meu primeiro livro e depois os outros 14. Os livros ficam disponíveis em diversas partes do mundo. Já tive livro lido até no Japão, Estados Unidos, França, Reino Unido. Mas para se viver somente de venda de livros é preciso vender 1000 (mil) exemplares por mês, o que não é fácil.

Meu primeiro livro foi publicado em 2015. Estou ainda em processo de conhecimento quanto a divulgação. Não é nada fácil.

Em termos de retorno acho que a Amazon é o mais indicado.

Estou na batalha.

Josué Gerraldo Botura do Carmo

Há uma mudança no registro de ISBN no Brasil. A BN aceitará o registro apenas até o dia 31 de janeiro de 2020. Depois ainda não sei como ficará.

Este é o aviso que aparece na página da BN:

COMUNICADO IMPORTANTE!

Comunicamos que a partir do dia 01 de Março de 2020, a Fundação Biblioteca Nacional e a Fundação Miguel de Cervantes de apoio à Pesquisa e à Leitura da Biblioteca Nacional não mais terão responsabilidade pela Agência do ISBN no Brasil. Esta foi uma decisão exclusiva da Agência Internacional do ISBN, que designou outra entidade para tal função.

Estamos disponibilizando nosso cronograma de encerramento para que todos (as) editores (as) se programem com antecedência.

 

CRONOGRAMA DE ENCERRAMENTO DAS ATIVIDADES E SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS.

ENCERRAMENTO

A Agência encerrará suas atividades externas no dia 31/01/2020 – 6ªf.

 

SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS

  • VIA ONLINE
    • as solicitações devem ser feitas SOMENTE até o dia 31/01/2020 ATÉ AS 17:00;
    • após essa data, todas as opções serão “bloqueadas” para todos os serviços;
    • os boletos bancários só poderão ser gerados até o dia 31/01/2020 ATÉ AS 17:00 e terão a validade de 3 dias para pagamento. Após esse período, caso não tenha efetuado o pagamento e gerado o boleto NÃO PODERÁ REFAZER A SOLICITAÇÃO, ou seja, NÃO SERÁ REALIZADO NENHUM SERVIÇO;
    • as solicitações colocadas “em pendência” devem ser resolvidas/corrigidas de imediato. Caso não sejam, serão REPROVADAS e NÃO PODERÃO mais solicitar tais serviços.
      Neste caso, o editor TERÁ que solicitar a DEVOLUÇÃO DO PAGAMENTO EFETUADO;
    • as solicitações REPROVADAS, os editores TERÃO que solicitar a DEVOLUÇÃO IMEDIATA DO PAGAMENTO EFETUADO.

      IMPORTANTE: prazo para o editor SOLICITAR DEVOLUÇÃO = ATÉ O DIA 12/02 – 4ªF.
      ( Para devolução: seguir as instruções disponíveis no site link tabela de preços)

       
  • VIA CORREIOS
    • só serão aceitos serviços com pagamentos efetuados até o dia 31/01/2020 (6ªf) ATÉ AS 17:00
    • a data limite de recebimento de correspondência – via correios, será SOMENTE até o dia 07/02/2020. Após essa data, a documentação não será aceita, ou seja, o serviço não será executado.
      O pagamento enviado, será DEVOLVIDO e a documentação será DESCARTADA.
      (a Agência vai enviar e-mail solicitando os dados bancários para o processo de devolução)
  • FICHA CATALOGRÁFICA ( via e-mail ou correios)
     
      • só serão aceitos serviços com pagamentos efetuados até o dia 31/01/2020 (6ªf) ATÉ AS 17:00;
     
    • só receberemos serviços SOMENTE até o dia 07/02/2020. Após essa data, a documentação não será aceita, ou seja, o serviço não será executado.
      O pagamento enviado, será DEVOLVIDO e a documentação será DESCARTADA.
      (a Agência vai enviar e-mail solicitando os dados bancários para o processo de devolução)



PROCESSO DE DEVOLUÇÃO

  • os editores que ainda não solicitaram devolução (referente a bolsa de crédito e boleto bancário), o prazo para tal solicitação é de até SOMENTE 12/02/2020 prazo final).
    (Lembrando que desde o dia 14/08/2019, os editores foram comunicados – via site e mala direta - sobre este processo de devolução)
    (Para devolução: seguir as instruções disponíveis no site link tabela de preços)


ATENDIMENTO AO PÚBLICO

  • O atendimento será encerrado no dia 31/01/2020 ( Agência, telefone e via e-mail)
  • A partir de 31/01 SÓ SERÃO RESPONDIDOS E-MAILS REFERENTES AO PROCESSO DE DEVOLUÇÃO (boleto de crédito, crédito e bolsa de crédito)
  • Caso haja alguma necessidade emergencial, a Agência entrará em contato com as editoras

 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

  • APÓS O DIA 31/01/2020 TODOS OS SERVIÇOS SERÃO BLOQUEADOS, OU SEJA, NÃO PODERÃO SER MAIS SOLICITADOS.
  • APÓS O DIA 31/01/2020, NÃO ACEITAREMOS MAIS NENHUM PAGAMENTO.
    (as contas – serviços e ficha catalográfica - serão “BLOQUEADAS” para créditos).
  • O ATENDIMENTO (Agência, telefone e e-mail) SERÃO ENCERRADOS NO DIA 31/01/2020.
  • SOLICITAMOS AOS EDITORES PARA QUE RESPEITEM O CRONOGRAMA DE ENCERRAMENTO.
    NÃO SERÁ CONCEDIDA NENHUMA EXCEÇÃO. PARA ISSO ESTAMOS DISPONIBILIZANDO TODAS AS INFORMAÇÕES E PRAZOS COM ANTECEDÊNCIA, PARA QUE POSSAM SE PROGRAMAR.
    PEDIMOS A COMPREENSÃO DE TODOS.

 

ASSEGURAMOS QUE COM TAIS MEDIDAS AS EDITORAS NÃO SERÃO PREJUDICADAS.
AS EDITORAS DEVEM ENTRAR EM CONTATO DIRETO COM A AGÊNCIA PARA ESCLARECIMENTOS E DEMAIS NECESSIDADES, ATRAVÉS DO E-MAIL [email protected]

 

ATENÇÃO!

 Caso os editores necessitem de ISBNs para a produção de fevereiro, a Agência está fazendo a concessão da venda antecipada de ISBNs. Neste caso, favor entrar em contato por e-mail ([email protected])


 

AGÊNCIA BRASILEIRA DO ISBN
(10 de Janeiro de 2020

Quem nunca teve um sopro de inspiração que te fez fugir da correria do dia-a-dia, levando-o a imaginar mundos fantasiosos ou ideias mirabolantes? É a partir destas ideias que nascem os livros, inclusive a maioria dos best-sellers já escritos. Mas aí vem a pergunta: como transformar essas divagações em um livro? Muitas vezes o trabalho e estudo preenchem boa parte do dia, e a ideia vira apenas uma página em branco.

Como escritor, vou escrever minhas experiências na escrita, e como foi o processo de publicação do meu primeiro livro, chamado “Despertar – O Renascimento”. A priori, considero a etapa inicial uma das mais difíceis de todo o processo. A primeira coisa que você de ter em mente, é que escrever requer tempo. Sim, se você realmente quer escrever um livro e botar suas ideias no papel, isso levará tempo, e muito. Demorei aproximadamente quatro anos para finalizar meu livro.

Quatro anos parecem muito, mas procure pesquisar quanto tempo um escritor renomado demorou para escrever e finalizar suas series famosas. Claro que esse tempo é relativo, e varia de livro a livro, e de autor para autor, mas tenha em mente que o processo é lento e demorado, a não ser que você tenha o talento do Stephen King para escrever, aí já é outra história.

Despertar – O Renascimento é uma ficção distópica, e marca o início de uma série (nunca imaginei isso no início). Na obra, existem dezenas de personagens, e é justamente aqui que começa o primeiro grande desafio do escritor. Como dar nomes e características aos personagens? Como dar a cada personagem uma personalidade distinta? Como descrever as suas aparências e idiossincrasias?

Sendo sincero, quando nomeei os primeiros personagens, não pesquisei muito a respeito, pois nunca achei que conseguiria ter história suficiente para conseguir publicar. Após ver que a história ganhava corpo e consistência, passei a introduzir os novos personagens com nomes cada vez mais incomuns, procurando em várias fontes, como geradores de nomes na internet, além de nomes e sobrenomes de diversas nacionalidades e culturas. Quanto mais personagens a história ganhava, mais desafiante o processo se tornava.

Personalidade requer tanto estudo quanto. Na minha metodologia, primeiro deve-se fazer uma leitura mental do personagem, e atribuir para o mesmo uma personalidade e caráter que te satisfaça, seja um personagem afável e carinhoso, ou um personagem intransigente e execrável. É importante ressaltar que um antagonista não necessariamente terá uma personalidade detestável, e um protagonista será a personificação da bondade. O relativismo moral e ético é válido também.

É comum as pessoas me perguntarem “Como você escreveu tudo isso?”, “Como você consegue inspiração?”. Creio que tudo é uma questão de prática. É claro que toda boa história precisa de um ponto de partida, uma fagulha de inspiração que te leve a criar um mundo fantástico e fantasioso. A minha primeira “fagulha” veio quando ainda era acadêmico do curso de História. Estava no último ano, e divagava sobre assuntos diversos, quando imaginei o início do que seriam os três primeiros capítulos do livro.

A partir dai, fui escrevendo em um documento do Word tudo o que vinha a minha mente, e conforme o tempo passava, novas ideias surgiam, assim como novos personagens e lugares a serem explorados. Mesmo assim, até hoje, quatro anos e meio depois do primeiro rascunho, muitas vezes as ideias não vem a cabeça, e passo dias sem escrever uma única linha. Da mesma forma, muitas vezes as inspirações vêm em horas inusitadas, como durante o banho, por exemplo.

Quando o livro finalmente estava pronto, em meados de 2018, comecei a procurar editoras para enviar originais. Acredito que e nesta etapa que muitos escritores desistem de publicar suas obras, e que muitos talentos permanecem nas sombras. O mercado editorial brasileiro ainda é muito pequeno, e as editoras que dão suporte para escritores nacionais autônomos e que nunca publicaram são exceções no mercado. As grandes editoras sequer dão atenção aos escritores novatos, e muitas outras cobram preços abusivos, o que torna o processo impossível para muita gente.

Felizmente, existem formas de publicar sem ter um custo elevado, como é o caso da publicação independente, onde o escritor fica a cargo dos custos. Existem também as editoras que pagam uma parte do processo de publicação, o que torna o processo pouco menos exorbitante, como é o caso de várias editoras, como a Viseu, especializada em autores independentes e a qual publiquei.

Recebi quatro propostas de editoras antes de assinar o contrato com a Viseu, e neste ponto o escritor deve estudar e pesquisar muito antes de fechar uma parceria. Leia o contrato, veja se a editora tem um bom processo de revisão, se ela tem bons ilustradores para desenhar a capa, etc. Não se esqueça de que o livro é um produto, e as editoras, assim como quaisquer outras empresas, querem, entre outras coisas, lucro. É extremamente importante ressaltar que a primeira coisa que se deve fazer após escrever um livro é registrá-lo na biblioteca nacional, e só depois disso enviar originais para as editoras.

Por último e não menos importante: o que fazer depois que o livro foi publicado? Muita gente não sabe, mas o período pós-publicação é essencial para que o livro tenha uma boa vendagem. Divulgação e propaganda são trabalhos essenciais do escritor, e são tão importantes quanto a própria publicação. Mesmo que o livro seja excelente e tenha uma história incrível e cativante, sem propaganda ninguém saberá da sua existência. Existem diversas formas de parcerias, o que torna o trabalho de divulgação menos desgastante para os escritores. Blogs, canais do Youtube, livrarias, colégios, bibliotecas, bienais... Enfim, tudo é válido para divulgar o livro.

Essas foram parte das minhas experiências como escritor. Não quero desencorajar ninguém com o texto, apenas deixar evidente que é um caminho disputado a ser seguido. No final das contas, mesmo que o livro não se torne um best-seller, o mais importante e prazeroso de tudo é vê-lo terminado, e você ter orgulho do que escreveu.

Renato A. Lima.

Uma lista de parâmetros usados no processo de seleção da revista Literomancia, especialisada em ficção especulativa. Essas dicas também podem ser úteis para qualquer outra produção.

DICAS PARA CONTOS

  • Enredo. Coerência, objetividade, complexidade de trama e personagens. Qual a ligação entre o início, o fim e o meio? Quais são os arcos narrativos? Qual é a evolução e a função de cada personagem? É possível identificar um planejamento da parte do autor? O conto mantém a verossimilhança?
  • Ritmo. Coesão, pontuação, parágrafos e períodos. Os parágrafos e frases estão todos do mesmo tamanho? As frases estão claras? Foram evitadas rimas e cacofonias? Os personagens falam de acordo com sua personalidade e suas características? As cenas são bem descritas? Há um ritmo bom entre ação e descrição?
  • Criatividade. Originalidade, construção de mundo, imprevisibilidade. Há muitos clichês? O cenário é algo totalmente novo, ou está explorando os limites das convenções? É possível prever os acontecimentos ou as atitudes dos personagem? O personagem tem profundidade? Há algo diferente no narrador? A história seguiu rumos inesperados? O elemento especulativo foi trabalhado em todos os seus ângulos?
  • Adequação.O conto se adequa a proposta da revista? O conto se encaixa em ficção especulativa, suspense e/ou literatura fantástica?
  • Foco. O tema do conto é abarcado do início ao fim? O conto relata ou descreve mais/menos do que precisa? O personagem possui características puramente estéticas, narrativamente ou simbolicamente irrelevantes?
  • Expressão. O conto tem como pretensão central pregar moralidade, ou possui várias mensagens? Há camadas de compreensão? Há mais de um significado para cada possibilidade?
  • Relevância. A mensagem da obra é importante? A ideia geral remete a questões interessantes? O autor demonstra domínio do tema? Há um debate interno ou a história é uma propaganda ideológica?
  • Gramática. O autor demonstra domínio da língua? O autor manteve uma linguagem compreensível? O autor tentou ser rebuscado demais?
  • Ortografia. O autor cometeu muitos erros ortográficos ou de digitação? O autor demonstrou ansiedade?
  • Reflexão. É possível identificar-se com os personagens? A trama permite que o leitor pondere a respeito de seus possíveis destinos ou termina com um desfecho conclusivo?
  • Imersividade. É possível extrapolar aquele universo? É possível que o leitor se sinta dentro do cenário criado? É possível imaginar-se vivendo o que está escrito?

DICAS PARA CRÍTICAS E ENSAIOS

  • Complexidade e compreensibilidade. Quanto mais complexo for o assunto, e mais fácil for entendê-lo, melhor será seu texto.
  • Domínio teórico sobre narrativa. Sim, nossas críticas e ensaios não precisam ser impessoais, mas também não estamos interessados no gênero “textão de facebook”.
  • Chamada e narratividade. A Revista tem um público-alvo muito variado, então tente deixar sua produção mais “leve”. Use técnicas narrativas e trabalhe ao redor de uma unidade de efeito para deixá-la interessante até mesmo para os leitores menos experientes. Não tenha medo de ser artístico. Atraia, chame a atenção, discuta, etc.
  • Aplicabilidade prática do tema. Tente expor de maneira clara como a teoria utilizada ou o debate em questão pode ser útil na prática. Utilize ideias que sejam interessantes tanto para o veterano quanto para o leigo.
  • Exemplificação. Utilize teorias, teóricos, conceitos, ideias e mostre exemplos, mas não se prenda em definições absolutas. Traga para sua produção a dualidade dos pontos de vista.
  • Objetividade. São apenas duas páginas, então remova qualquer coisa que não gire ao redor da ideia central.
  • Humor. É sempre bem-vindo, mas não exagere. Não o utilize como prato principal, acompanhamento ou sobremesa: faça dele seu tempero gourmet.

Comentários Usando Facebook